A Espria cria uma plataforma composable para oferecer transformação digital

Soluções de saúde mais flexíveis, pessoais e eficazes

A Espria é um dos maiores provedores de serviços de saúde na Holanda. Ela opera com sete marcas, cada uma oferecendo uma especialidade de saúde e compartilhando todos os serviços comerciais compartilhados da Espria, incluindo a TI.

Como as organizações de saúde em muitos países desenvolvidos, a Espria está passando por um período de grande transformação. Ela quer prestar
serviços de saúde mais perto de seus usuários, levando muitas interações não emergenciais de um ambiente de assistência à saúde para a comunidade.

Parte de sua missão é fortalecer a resiliência e a autossuficiência “para apoiar o desejo de uma pessoa de permanecer totalmente independente o
máximo de tempo possível”. Isso requer que o negócio seja mais flexível, ágil e pessoal. A transformação digital está no centro dessa mudança. A Espria quer que os dados dos pacientes sejam usados de forma mais eficaz e quer permitir que sua equipe seja móvel em sua maneira de trabalhar.

“A transformação digital é o nosso maior desafio”, afirma Jeroen Ensink, responsável pela arquitetura de TI, Espria. “Tradicionalmente, a TI da área da saúde tem uma mentalidade conservadora — temos muitas questões de segurança, regulatórias e jurídicas a serem consideradas. Porém, a Espria é uma organização exigente, tanto em termos de ambições quanto de eficiência operacional.”

Simplicidade e planejamento de longo prazo

Uma infraestrutura composable flexível e eficiente é essencial para apoiar essa transformação. Como uma organização sem fins lucrativos e com orçamento limitado, a estratégia de TI da Espria favorece a simplicidade, a eficiência de custos e o planejamento de longo prazo.

“Os custos são uma consideração essencial”, diz Ensink. “Você pode ter uma visão maravilhosa, mas sem o orçamento para financiá-la, a visão não é
nada.”

A organização enfrentou um problema com seu ambiente de blade. Usuária de longo prazo das soluções Hewlett Packard Enterprise, a Espria tinha um ambiente de data center tradicional e controlado por silo. A equipe de TI estava satisfeita com o desempenho do chassi HPE BladeSystem c7000, mas estava procurando uma infraestrutura pronta para o futuro com uma solução que pudesse acompanhar as demandas de negócios. A equipe estava preocupada com os recursos necessários para gerenciar o ambiente existente. Além disso, a Espria queria controlar os custos crescentes das
licenças.

“Temos uma equipe de 100 pessoas gerenciando a infraestrutura de TI para 17.000 funcionários”, explica Ensink. “Temos que maximizar sua eficácia.

Não tivemos problemas com o desempenho ou a utilização de recursos com o HPE c7000, mas o ambiente se tornou muito complexo para gerenciar e não estava ajudando nossos custos. Devido às políticas em mudança para VMware®, Microsoft® e Citrix®, e à escala em que operamos, estávamos
muito conscientes do número de núcleos e processadores que precisávamos para suportar essas licenças.”

Jornada para infraestrutura composable definida por software

Na área de saúde, diz Ensink, a estabilidade supera o risco. Isso significa que a Espria nem sempre está na vanguarda da tecnologia de TI; ela tende a favorecer a evolução sobre a revolução.

“Os c7000s eram muito mais que confiáveis. O que vimos com a HPE Synergy Composable Infrastructure foi uma evolução natural. Não houve
risco”, diz Ensink. “O caso de negócios da HPE Synergy era óbvio.”

Cada um dos dois data centers da Espria inclui o HPE Synergy, junto com o HPE OneView, para gerenciar todo o ambiente. O HPE Synergy fornece uma nuvem privada de infraestrutura composable que une aplicativos tradicionais e em nuvem na segurança de seu próprio data center. A poderosa solução definida por software permite que a Espria gerencie sua infraestrutura como código, implantando recursos de TI rapidamente e para qualquer carga de trabalho.

“Estamos fazendo a transição para uma infraestrutura definida por software”, diz Ensink, “e o HPE Composable Infrastructure, fornecido por meio do HPE Synergy, apresentou o melhor ajuste de todas as soluções disponíveis.”

Além disso, o HPE OneView oferece uma abordagem programática e definida por software para gerenciar a infraestrutura, com automação eficiente de fluxo de trabalho, um painel moderno e um amplo ecossistema de parceiros. Ele elimina processos manuais complexos, estimula a colaboração da TI e aumenta a velocidade e a flexibilidade do fornecimento de serviços de TI.

A solução entrou em vigor em dois dias, diz Ensink, com mais quatro horas necessárias para fazer a configuração: “Foi brincadeira de criança. Você cria o perfil, define as configurações e pronto. O HPE OneView gerencia tudo.”

Duplica o desempenho com metade do custo

O HPE Synergy entrega imediatamente os requisitos da solução, diz Ensink: Economizamos 50% em nossos custos de licenciamento. Precisamos de 50% menos processadores e estamos vendo o desempenho melhorar em 200%. Dobramos o desempenho pela metade do custo, basicamente.

“Com o HPE Synergy Composable Infrastructure, estamos confiantes de que temos a arquitetura para o futuro. Atualmente, o HPE Synergy atende somente à nossa infraestrutura VMware. A partir de 2019, transferiremos nosso ambiente Citrix do HPE c7000s para o HPE Synergy.”

Com menos tempo gasto no gerenciamento da infraestrutura, o foco da equipe de TI está nos serviços de valor agregado aos negócios, incluindo
as etapas de desenvolvimento e operações. A empresa agora está mais apta a apoiar a transformação digital de seus sete especialistas em saúde voltados para o paciente. A Espria provavelmente precisará responder a essas mudanças de maneira flexível e ágil.

“O objetivo é um ambiente completo definido por software e isso nos mantém ocupados”, conclui Ensink. “Qualquer eficiência obtida nas operações do dia a dia pode ser usada para suportar novos serviços.”

Por que a IA é uma ferramenta cada vez mais importante na previsão do tempo

Inteligência Artificial, conjuntos de dados massivos e computação de alto desempenho estão ajudando a produzir grandes mudanças nas habilidades de previsão.

A inteligência artificial tem sido usada para analisar dados sobre o tempo e o clima há anos. Hoje, porém, com um impulso de computadores de alto desempenho (HPC) cada vez mais poderosos e grandes cargas de dados, os cientistas estão começando a aplicar a IA para criar previsões mais precisas, mais granulares e de maior alcance.

Isso significa que a tecnologia está se unindo para fornecer melhores previsões climáticas para os próximos 100 anos, bem como previsões meteorológicas mais precisas, oferecendo mais avisos para as pessoas se abrigarem de eventos como tornados e furacões. E essa combinação poderosa de tecnologia preditiva, já em teste, pode funcionar nos próximos três a cinco anos.

E ser capaz de melhorar a previsão do tempo em minutos poderia salvar vidas e milhões de dólares, de acordo com David John Gagne, um cientista de aprendizado de máquina do NCAR que trabalha com cientistas em diferentes laboratórios de clima e tempo para ajudá-los a desenvolver IA e sistemas de aprendizado de máquina.

“Pense no que isso poderia significar, mesmo por dois minutos extras de alerta para um tornado”, diz ele. “Em alguns casos, isso pode permitir que você chegue a um abrigo. Se pudermos fazer previsões mais específicas, também podemos dizer que um tornado provavelmente tomará esse caminho, mas também pode ir para lá, então você pode querer seguir abrigo lá também. ”

 

Saiba mais sobre o que as soluções de AI/ML podem fazer pela sua empresa.

Mantenha sua empresa funcionando a todo vapor

A HPE está reunindo o que há de melhor em expertise, suporte, flexibilidade financeira e soluções de tecnologia para atender aos seus mais imediatos desafios e mais inesperadas demandas.

Estamos comprometidos a ficar do lado de nossos clientes 24×7 durante essa crise e honrar nossas obrigações de fornecimento de serviço e suporte, para ajudar você a minimizar a perda de serviço.

 

Soluções VDI seguras para atender a qualquer desafio

A HPE oferece um portfólio abrangente de soluções de VDI para ajudar você a atender às demandas imediatas por capacitação de força de trabalho remota.  Projetadas para ambientes VMware e Citrix, as soluções de VDI HPE foram feitas para oferecer acesso seguro e eficiente aos aplicativos e dados e para suportar uma vasta gama de requisitos dos usuários.

 

Soluções de conectividade remota perfeita para dar suporte a uma força de trabalho móvel

De iniciativas de home office, locais “instantâneos” e instalações temporárias, a HPE oferece acesso seguro e suave aos recursos corporativos em escala. Os Serviços HPE Pointnext podem ajudar você a estabelecer conectividade e colaboração seguras e confiáveis para os funcionários remotos. Os Pontos de acesso remoto Aruba (Aruba Remote Access Points, RAPs) são usados em locais “instantâneos” externos, para expandir a conectividade de rede aos funcionários móveis com rapidez e segurança. O Aruba VIA VPN oferece uma VPN robusta e altamente expansível, com provisionamento autônomo, segurança em vários níveis e gerenciamento remoto.

 

Soluções de armazenamento rápido de dados para ajudar a atender às demandas inesperadas

As organizações estão enfrentando desafios de TI inéditos, na forma de demandas imprevisíveis que afetam os negócios. Para quem está enfrentando picos nas cargas de trabalho de aplicativos e ocupação rápida da capacidade de armazenamento, o HPE Nimble Storage pode rapidamente ajudar a minimizar as restrições de desempenho e capacidade para atender às demandas inesperadas. Além disso, os administradores podem usar o HPE Cloud Volumes para liberar espaço no data center, migrando os dados não essenciais para a nuvem.

 

Soluções adaptativas de gerenciamento remoto, para gerenciar cargas de trabalho críticas

As organizações estão tendo problemas para levar as operações de TI até os sites físicos. Para aquelas sem capacidade de suporte remoto configurada, estamos oferecendo incremento de pessoal remoto, para ajudar a gerenciar as cargas de trabalho críticas.  Essas soluções de missão crítica oferecem gerenciamento imediato, da borda até a nuvem e até a TI central, para todas as principais cargas de trabalho, como SAP e bancos de dados.

 

Saiba como a AMR consegue ajudar você

Como ter sucesso na transformação de negócios digitais

Já se sabe que a transformação digital pode transformar a maneira como as empresas operam. Mas o processo não é uma simples questão de reunir mais informações e usar o data warehouse familiar e a abordagem de análise do cliente que começa pela coleta de dados e cria percepções do passado. Em vez disso, tornar-se um negócio digital requer uma grande mudança no código cultural de uma empresa e o desenvolvimento de habilidades para encontrar novos tipos de valor nos dados. Aqui estão algumas maneiras de ajudar sua jornada para a transformação digital da maneira mais tranquila possível.

Seja claro sobre a escala e o impacto do seu projeto digital

Lembre-se de que a jornada não envolve apenas transformações de grandes empresas. A maioria das inovações digitais é menor e visa melhorar partes de um negócio ou processos de negócios individuais. Às vezes, essas pequenas transformações digitais são ignoradas porque não produzem manchetes de grandes negócios. No entanto, eles podem ter um valor enorme para partes do negócio. Por exemplo, encorajar “desenvolvedores cidadãos” – especialistas em linha de negócios que não são programadores profissionais, mas podem escrever aplicativos usando plataformas sem código / baixo código – pode trazer muitas pequenas melhorias por meio de sua capacidade de trabalhar com dados em seus atividades do dia-a-dia. Essas pequenas melhorias podem afetar o restante da organização e ter um grande impacto.

Portanto, primeiro, controle a escala de seu projeto e o impacto que você espera dele. Faça promessas do tamanho certo. A digitalização pode trazer benefícios pequenos, médios, grandes e gigantescos, portanto, você deve compreender a escala, o escopo e o impacto de qualquer proposta para garantir que projetos de nicho não sejam mal interpretados como grandes transformações.

Use novos tipos de dados – e pense como Einstein

As transformações industriais vêm acontecendo há centenas de anos, começando com a primeira Revolução Industrial e continuando até a quarta de hoje. As empresas que querem se transformar precisam se preparar para um mundo em que tudo é computado, onde a tecnologia está embutida em todos os lugares e onde tudo está conectado e tem a capacidade de ser compreendido. A chave para fazer uso de todos os aplicativos que trabalham com os dados. Esses aplicativos podem ser executados em qualquer lugar, inclusive no telefone e em equipamentos de data center. Eles podem ser novos aplicativos ou mesmo aplicativos legados, então as empresas precisam entender como os aplicativos novos e antigos funcionarão juntos, porque os aplicativos digerem os dados para produzir os insights que podem transformar as empresas.

“Não podemos resolver problemas usando o mesmo tipo de pensamento que usamos quando os criamos.” – Albert Einstein

Embora possamos identificar um problema usando nosso modo de pensar atual, a solução exigirá uma nova abordagem – um novo código cultural fazendo uso de novos dados, aplicativos novos e antigos e pensamento inovador. Requer novos comportamentos operacionais orientados por dados quase em tempo real – o tipo visto em inovações como Uber, Redes Sociais e transformações de negócios como varejo online.

Lembre-se de três fatores para transformações digitais de sucesso

O que tudo isso significa na prática? Como podemos ter certeza de que todos em todos os níveis dentro de uma empresa pensam com os dados e os usam para transformar suas empresas? Conheça três fatores altamente vinculados que são essenciais para o sucesso da transformação digital.

1. KPIs

Cada organização tem objetivos corporativos, intenções mensuráveis ​​que levam a uma variedade de iniciativas. As iniciativas devem ter seus próprios KPIs claramente definidos, porque sem eles um projeto não terá sucesso. Se você ouvir sobre uma iniciativa, como um programa de consolidação de dados, e ela não tiver KPIs mensuráveis ​​que mostrem um valor real que está sendo entregue à empresa, ela não será concluída com sucesso.

Não é suficiente que esses KPIs sejam compreendidos pelas pessoas envolvidas no projeto. Eles precisam estar na frente de todos na empresa. Por exemplo, nossos KPIs são reduzidos e mais específicos para que todos saibam em quais devem se concentrar. Se os KPIs  não se tornam parte do trabalho das pessoas e não estão vinculados a objetivos específicos, não se pode esperar que as pessoas os sigam sempre.

2. Agilidade

Para ter sucesso na transformação digital, lidar com KPIs corretamente não é suficiente. As empresas também devem ser ágeis e agir com rapidez. E um grande componente disso é direcionar os projetos do tamanho certo para sua transformação digital. Portanto, olhe para o primeiro passo para obter valor, o que chamamos de produto mínimo viável, e obter valor disso rapidamente. Dessa forma, você pode iniciar a transformação imediatamente.

3. TI Confiável

A etapa final na transformação digital é garantir que existam bases confiáveis ​​para seus projetos digitais. É aqui que você doma a complexidade de TI e garante que o máximo de energia esteja disponível para trabalhar em seus aplicativos de negócios e nos dados ao seu redor. Você quer liberar as pessoas inteligentes que trabalham em sua base de TI para que possam gastar seu tempo e criatividade em seus novos projetos digitais. E você também quer a base para executar adequadamente seus aplicativos e lidar com seus dados.

Isso significa escolher o parceiro certo com a experiência e a plataforma certas. Isso é o que fazemos na AMR e na Hewlett Packard Enterprise. Nosso objetivo é construir bases confiáveis ​​para empresas. E porque sabemos como ajudá-lo a projetar um produto mínimo viável, você não trabalhará com um sistema massivo e com excesso de engenharia que ficará por aí com apenas 20 por cento sendo usado nos primeiros anos. Ajudamos as empresas a atingir a escala certa no nível certo, sem perda de tempo, esforço ou dinheiro. Cuidamos da infraestrutura e da base de TI para que você possa colocar sua energia em seus aplicativos.

Como começar

A transformação digital é mais do que uma palavra da moda e, se você fizer isso da maneira certa, sua empresa poderá ver resultados consideráveis.

Entre em contato conosco e deixe nosso time de especialistas e parceiros ajudar você nessa jornada.

O que é Transformação Digital?

A transformação digital é o processo de integrar tecnologia digital a todos os aspectos da empresa, o que exige mudanças fundamentais de tecnologia, cultura, operações e entrega de valor. Para aproveitar melhor as tecnologias emergentes e sua rápida expansão nas atividades humanas, uma empresa precisa se reinventar, transformando radicalmente todos os seus processos e modelos. A transformação digital requer uma mudança de foco para a borda da empresa e data centers mais ágeis, para suportar essa borda. Isso também significa se livrar da tecnologia legada, que pode custar caro para a empresa manter, além de alterar a cultura da companhia para apoiar a aceleração que vem com a transformação digital.

Breve história da transformação digital

Embora a transformação digital seja um tópico popular no ambiente de tecnologia de hoje, na verdade, ela já faz parte das conversas há algumas décadas. No entanto, ela nem sempre teve o mesmo significado. Por muito tempo, ela foi algo no campo da digitalização ou da tradução de formas de dados tradicionais para que pudessem ser armazenados digitalmente. Isso é importante, porém uma parte muito pequena do escopo da transformação digital moderna, que, na verdade, evoluiu a partir da digitalização.

Quando as empresas perceberam que poderiam usar os dados recém-digitalizados, elas começaram a desenvolver processos para fazer isso. Desde então, a taxa de surgimento de tecnologias acelerou exponencialmente, tornando cada vez mais importante adaptar-se e manter-se competitivo. Embora a transformação digital seja um tópico popular no ambiente de tecnologia de hoje, na verdade, ela já faz parte das conversas há algumas décadas. No entanto, ela nem sempre teve o mesmo significado. Por muito tempo, ela fez parte do campo da digitalização ou da tradução de formas de dados tradicionais para que pudessem ser armazenados digitalmente. Isso é importante, porém uma parte muito pequena do escopo da transformação digital moderna, que, na verdade, evoluiu a partir da digitalização. Quando as empresas perceberam que poderiam usar os dados recém-digitalizados, elas começaram a desenvolver processos para fazer isso. Desde então, a taxa de surgimento de tecnologias acelerou exponencialmente, tornando cada vez mais importante adaptar-se e manter-se competitivo.

Por que fazer a transformação digital?

As empresas estão rapidamente trocando suas interações tradicionais por experiências digitais alimentadas pelos avanços na tecnologia. Frequentemente, isso ocorre não porque as empresas querem se transformar, mas porque elas precisam se transformar se quiserem sobreviver. O mercado passou a esperar que as empresas criem experiências digitais eficientes, e uma empresa que não se adaptar a esse novo modelo de cliente digital será abandonada.

Por outro lado, uma empresa que aceitar as mudanças e se adaptar a um modelo mais ágil tem o potencial para ter mais sucesso do que nunca. Isso porque a transformação digital, em sua essência, significa examinar todos os aspectos de uma empresa e descobrir como modernizá-los, para que possam continuar a evoluir conforme a tecnologia evolui.

  • Melhore os processos: As novas tecnologias permitem que as empresas automatizem os processos mais simples e eliminem os intermediários dos processos mais complexos. Isso deixa as empresas mais ágeis e permite que elas usem seu capital humano de maneiras mais eficientes.
  • Encontre novos fluxos de receita: Caminhos lucrativos, que talvez não estivessem abertos para as empresas, quando elas foram fundadas, podem estar abertos agora por meio das tecnologias emergentes.
  • Crie experiências mais personalizadas e atrativas para os clientes: Os clientes de hoje esperam que as empresas os ouçam e atendam às suas necessidades específicas. A tecnologia evoluiu para atender exatamente a esse propósito.

Para aproveitar os dados digitais, entretanto, as empresas precisam adotar as tecnologias assim que elas se tornarem disponíveis, testá-las e usar esse feedback para se adaptarem melhor e se prepararem para o futuro. Mesmo que incorporar novas tecnologias seja mais arriscado do que usar sistemas estabelecidos, as recompensas também podem ser muito, muito maiores.

As principais etapas de uma transformação digital

Apesar de o processo de transformação digital ser diferente em cada empresa, há algumas etapas que são importantes e devem ser consideradas por todas.

  • Crie um plano que funciona para os negócios: Ao começar um processo de transformação digital, é vital para uma empresa saber tanto como ela quer evoluir quanto que novas tecnologias ela pode usar para chegar lá. As empresas precisam pensar em todos os recursos que elas têm à sua disposição e quais podem ser dedicados à modernização. Isso pode, inclusive, levar a mudanças nas prioridades de projetos e ideias dentro da organização de negócios, identificando quaisquer lacunas que possam atrapalhar os esforços de transformação digital.
  • Faça seus funcionários usarem e dominarem tecnologias emergentes: Esse processo pode ser complicado, pois os modelos de negócios tradicionais exigiam que os funcionários aprendessem determinados sistemas e continuassem a usá-los por anos a fio. Com a transformação digital, os funcionários precisam estar abertos às mudanças nos processos que eles usam para realizar suas tarefas se isso for deixar o trabalho mais eficiente. Isso também significa pensar criativamente sobre o potencial das novas tecnologias e em como elas podem ser mais bem utilizadas.
  • Abandone as tecnologias legadas: Frequentemente, as empresas gastam rios de dinheiro apenas para manter tecnologias antigas que não trazem mais lucro e não oferecem a experiência digital exigida pelo mercado. Isso ocorre porque atualizar tecnologias mais antigas pode ser caro e complicado. Entretanto, depender de tecnologia legada atrapalha a empresa como um todo. É algo que consome recursos valiosos que poderiam ser aplicados em tecnologias mais fáceis de usar, que ofereceriam uma melhor experiência ao cliente e/ou conduziriam análise de dados mais rapidamente.

 

Saiba como podemos ajudar você nessa jornada!

 

Fonte: HPE

HPE ajuda clientes com transformação digital

A Hewlett Packard Enterprise anunciou avanços significativos na estratégia de plataforma como serviço (aaS) de ponta a nuvem da empresa, por meio de serviços em nuvem da próxima geração e uma experiência de entrega acelerada para o HPE GreenLake. Os novos serviços na nuvem do HPE GreenLake – que abrangem gerenciamento de contêiner, operações de aprendizado de máquina, VMs, armazenamento, computação, proteção de dados e rede – ajudam os clientes a transformarem e modernizarem seus aplicativos e dados – a maioria dos quais reside no local, em instalações de colocation, e cada vez mais na borda.

“Agora, mais do que nunca, dadas as condições atuais do mercado, as organizações têm uma necessidade urgente de conectar e potencializar todos os seus aplicativos e dados, a fim de transformarem seus negócios, apoiarem seus funcionários e atenderem seus clientes”, diz Antonio Neri, presidente e CEO da Hewlett Packard Enterprise. “À medida que entramos na próxima fase do mercado na nuvem, os clientes exigem uma abordagem que lhes permita inovar e modernizar todos os seus aplicativos e cargas de trabalho, incluindo os que estão na borda e no local. Ao oferecer uma experiência na nuvem, consistente em qualquer lugar, por meio dos serviços do HPE GreenLake e software projetado para acelerar a transformação, a HPE se posiciona de maneira exclusiva para ajudar os clientes a aproveitarem todo o poder de suas informações, onde quer que estejam.”

Hoje as companhias estão em uma encruzilhada em seus esforços de transformação digital. Segundo a IDC, apesar do crescimento e da adoção das nuvens públicas, 70% dos aplicativos permanecem fora delas. Devido a vários fatores, incluindo emaranhamento de aplicativos, prioridade alta ou baixa, sigilo dos dados, compliance de segurança e custos imprevisíveis, as empresas têm se esforçado para mover a maioria dos aplicativos que administram seus negócios para as nuvens públicas. Forçadas a manter dois modelos operacionais, elas enfrentam custos adicionais, complexidade e ineficiência, agilidade e inovação limitadas, além da incapacidade de capitalizar informações em qualquer lugar.

A HPE oferece uma abordagem única para resolver esse dilema, com os serviços na nuvem do HPE GreenLake para clientes no ambiente de sua escolha – da borda à nuvem – com um modelo operacional consistente e com visibilidade e governança em todos os aplicativos e dados corporativos.

Os serviços na nuvem HPE GreenLake também oferecem aos clientes um modelo econômico superior. Ao contrário dos fornecedores da nuvem pública, que cobram dos clientes a devolução dos dados no local, a HPE não cobra taxas de saída de dados. O modelo flexível como serviço do HPE GreenLake e as ferramentas robustas de análise de custos e conformidade permitem que os clientes preservem o fluxo de caixa, controlem os gastos e priorizem os investimentos alinhados às prioridades dos negócios.

 

Saiba como a AMR pode ajudar você nessa jornada!

 

Fonte: Decision Report

HPE oferece soluções prontas de infraestrutura de desktop virtual

Ao reconhecer a crescente necessidade de implementar ou dimensionar a infraestrutura remota da força de trabalho para atender às políticas de distanciamento social e quarentena, a Hewlett Packard Enterprise – HPE está lançando uma solução ainda mais poderosa de infraestrutura de desktop virtual – VDI, oferecendo termos de financiamento flexíveis e novas soluções pré-configuradas para aumentar a flexibilidade e acelerar a entrega para os clientes. A gama de soluções VDI, serviços de consultoria e financiamento da HPE permite que os clientes projetem e adaptem rapidamente suas implementações de VDI para atender às necessidades dos usuários, manter sua rede segura e economizar capital.

Disponível agora, a HPE Financial Services está oferecendo novas opções inovadoras de ciclo de vida financeiro e de ativos, incluindo a possibilidade de adiamentos de pagamento de 90 dias em soluções VDI. As soluções HPE VDI também estão disponíveis, com um modelo de consumo de serviço por meio do HPE Greenlake que oferece suporte a clientes que exigem flexibilidade financeira e uma experiência de TI mais simplificada.

As soluções de infraestrutura, que oferecem os principais recursos de gerenciamento remoto, segurança e automação do setor, ajudam as empresas a fornecerem rapidamente espaços de trabalho virtuais para suas equipes

A HPE também oferece novas soluções de VDI pré-configuradas para prestar suporte a clientes pequenos, médios e empresariais. Criadas nos servidores HPE ProLiant ou HPE Synergy, essas soluções podem iniciar com apenas 80 usuários e escalar para mais de dois mil trabalhadores remotos, tendo sido projetadas para ambientes Citrix e VMware.

Outro anúncio foi da solução VDI de alto desempenho para dar suporte a usuários avançados que trabalham remotamente. O HPE Moonshot agora é fornecido com o novo servidor blade HPE ProLiant m750, oferece mais de 70% de vantagem de desempenho e consome 25% menos energia que a geração anterior. Em desktops e aplicativos virtualizados em que densidade e eficiência são fundamentais, o novo servidor blade HPE ProLiant m750 pode suportar cerca de 33% a mais de trabalhadores remotos com 25% menos energia.

“A resposta global urgente à Covid-19 pressionou nossos clientes a implementarem e expandirem rapidamente opções de trabalho remotas e seguras para suas organizações. Tenho orgulho de que nossa equipe esteja oferecendo uma variedade de soluções, serviços e conhecimentos para ajudar nossos clientes a apoiarem seus funcionários e operações durante esse período crítico”, diz Gerald Kleyn, vice-presidente e gerente geral dos sistemas Moonshot, Edge e IoT na HPE. “Nossas soluções de infraestrutura, que oferecem os principais recursos de gerenciamento remoto, segurança e automação do setor, ajudam as empresas a fornecerem rapidamente espaços de trabalho virtuais para sua equipe”.

As novas soluções podem ser facilmente acessadas e gerenciadas, para alimentar uma variedade de aplicativos de uso remoto em mercados como bancos, saúde e educação. Esses aplicativos incluem comércio eletrônico, telemedicina, suporte para trabalhadores remotos em instalações médicas temporárias e e-learning para salas de aula virtual e educação a distância, EAD.

A HPE também oferece uma gama de serviços de consultoria e profissionais para ajudar os clientes a projetarem, implantarem e gerenciarem suas iniciativas de força de trabalho remota, tendo sido recentemente reconhecida como líder no primeiro cenário de mercado mundial de serviços de trabalho digital da IDC. Com centenas de especialistas em locais de trabalho digitais em todo o mundo, entregando mais de 500 projetos por ano, a HPE possui profunda experiência em ajudar as organizações a estabelecerem conectividade segura e confiável para trabalhadores remotos, implementando rapidamente opções de locais de trabalho remotos com parceiros como Microsoft e Citrix.

 

Fonte: inforchannel

9 vídeos inspiradores sobre transformação digital

Essas apresentações e palestras têm uma mensagem para todas as empresas, grandes e pequenas: entre no trem digital agora ou permaneça na estação para sempre.

1. “Digital Disruption. Digital Transformation,” Karl-Heinz Streibich, Innovation World 2015

 

2. “Flipping the Switch,” Frank Gens, Digital Transformation Conference 2016

 

3. “The Digital Transformation of Industries,” various speakers, Davos 2016

 

4. “The Digital Transformation Playbook,” David Rogers, Brite ’16 Conference

 

5. “Why Most Digital Business Transformations Will Fail,” Martin Gill, TNW Conference Europe 2015

 

6. “Forget Disruption, It’s Time for Transformation,” Dado Van Peteghem, Digital First 2015

 

7. “The 6 Key Challenges of Digital Transformation,” Emmanuel Vivier, Adobe Summit EMEA 2015

8. “Leading Digital Transformation Now—No Matter What Business You’re In,” Dr. Didier Bonnet, Oracle OpenWorld 2014


9. “The Digital Transformation of Enterprises,” Jessica Federer, FICOD15

 

Sua infraestrutura de TI está realmente preparada para o DevOps?

Lá pelos idos de 2007, surgiu um movimento entre desenvolvedores e profissionais de TI no sentido de eliminar as barreiras entre as duas áreas. Eles enxergaram na integração um caminho para se tornarem mais eficientes e rápidos, ampliando a capacidade de gerar valor aos negócios e aos clientes.

O fruto dessa convergência de propósitos é a metodologia DevOps (Development + Operations), conjunto de práticas que une desenvolvedores e profissionais de TI para que possam criar, testar, corrigir, liberar e atualizar softwares com rapidez e segurança.

Trata-se de uma nova cultura dentro das empresas, que requer postura colaborativa e comunicação permanente, calcada no monitoramento e feedback contínuo do desempenho dos softwares. Esse acompanhamento depende de ferramentas automatizadas, que encontram na composable infrastructure o ambiente ideal.

Por que composable infrastructure?

Uma infraestrutura composta é aquela cujos recursos físicos de processamento, armazenamento e network são tratados como serviços. Em uma composable infrastructure, os recursos são agrupados logicamente para que a equipe de TI não precise configurar fisicamente o hardware para suportar um software específico. A composable infrastructure oferece o melhor desempenho possível dos aplicativos, reduz a subutilização e o provisionamento em excesso e cria um data center mais ágil e econômico.

Em poucas palavras, estamos falando de uma infraestrutura baseada em código, com inteligência definida por software, na qual processos até então manuais são automatizados e customizados.

Para usar um exemplo bem simples, vamos imaginar que você tenha em seu data center uma estrutura de servidor com 12 lâminas, nas quais 10 rodam em um ambiente de virtualização e duas na função de backup, jogando os dados em uma fita ou um storage. À noite, quando a maior parte dos funcionários está em casa, o ambiente de virtualização fica ocioso, enquanto os servidores de backup podem sofrer uma sobrecarga. Com a composable infrastructure é possível programar, por meio de linhas de comando, que, a partir de um determinado horário, duas máquinas do aglomerado de virtualização passem a também fazer backup, aumentando o desempenho total do conjunto, atendendo à janela de backup fora do horário comercial. Às 6h da manhã, finalizada a cópia de segurança, as duas lâminas voltam automaticamente para a virtualização. Isso significa otimização do investimento em TI e maior poder computacional em uma estrutura mais enxuta e compacta.

No caso do desenvolvimento de softwares, a composable infrastructure oferece um conjunto fluido de recursos que podem ser combinados dinamicamente para atender demandas específicas de qualquer aplicativo, criando o cenário ideal para a aplicação do DevOps.

A adoção de metodologias ágeis está nos seus planos? Vamos conversar.